Selma e José Raphael Bokehi, coordenadores do Departamento de Educação

Selma e José Raphael Bokehi
O que é o Departamento de Educação da ARI?

José Raphael: É o setor responsável da educação religiosa judaica para crianças e jovens. Isso envolve desde a educação infantil até o pós bar/bat mitsvá.
Selma: É uma educação judaica complementar à da escola, que visa, entre outras coisas, estimular as crianças e jovens a se integrarem à sua comunidade, incorporarem no seu dia-a-dia as práticas e os valores do judaísmo e conhecerem melhor os fundamentos do Judaísmo Progressista.

Há quanto tempo vocês estão nessa função?

José Raphael: Começamos em 2011, no mandato da ex-presidente Evelyn Freier Milsztajn. Já frequentávamos a ARI desde 2004 e o convite para a coordenação surgiu algum tempo depois que entrei para o Conselho Diretor.

Quais são os maiores desafios?

Selma: Entender qual é a expectativa do público que estamos recebendo, de forma a atender a expectativa das famílias e, ao mesmo tempo, tornar a educação judaica prazerosa, além de favorecer a integração das famílias à nossa comunidade.

Quantas pessoas fazem parte do Departamento de Educação?

José Raphael: Ao todo somos 14 pessoas. Eu e a Selma somos coordenadores do departamento e a Gica (Gisele Nigri) é nossa coordenadora pedagógica. Maíra Tabajnihausky é a nossa secretária e temos 10 professores e músicos que se distribuem entre as atividades de Garinim (voltado para crianças de de 7 a 11 anos que estudam em escolas não judaicas), preparação para o bar e bat mitsvá, aulas de pós-bar e bat mitsvá, Shabat Ieladim e Shabat Tseirim. Este mesmo grupo também trabalha nos serviços voltados para crianças durante os chaguim. Todas estas atividades são planejadas e realizadas sob a supervisão dos rabinos Sergio Margulies e Dario Bialer,

Quais foram os momentos mais marcantes?

José Raphael: Pessoalmente, acho que foram o bar e bat mitsvá dos nossos filhos aqui na ARI. O bat da minha filha aconteceu dois anos após começarmos a frequentar a Sinagoga. Nós vivenciamos isso como pais e, depois, tivemos, no bar mitsvá do nosso filho, a oportunidade de participar do processo como coordenadores.
Selma: Teve também o primeiro Kol Nidrei que o departamento organizou para os jovens. Foi muito emocionante.

E os planos para o futuro?

Selma: Queremos ampliar o pós-bar e bat mitsvá pra uma faixa etária maior, para oferecer aos adolescentes uma atividade específica para eles na sinagoga.