Rabino Sergio Margulies palestra após apresentação de ‘Yentl’

s1

Por Tânia Apelbaum Novak

A apresentação de Yentl um recital, realizada dia 13 de novembro no teatro Municipal de Niterói, foi um sucesso. A comunidade do Rio se uniu e atravessou a Ponte em plena quinta-feira para prestigiar estes artistas. No elenco, Tânia Apelbaum Novak, no papel de Yentl, Gilberto Marmorosch no papel de narrador – pai de Yentl e rabino chefe -, Leo Wainer no papel de Avigdor. Direção geral Isaac Bernat, direção musical Haroldo Goldfarb, coreografia de André Grispan Schor, cenário de Doris Rollenberg, figurino de Franci Citryn e direção de movimento de Soraya Ravenle.

A estória é mais uma versão criada sobre o conto de Isaac Bashevi Singer: Yentl, o menino da Yeshivá. As cenas são permeadas com as lindas canções de Michel Legrand, escritas para o filme Yentl (estrelado por Barbara Straisend), além destas canções são cantados vários outros temas de orações e canções tradicionais judaicas.

No inicio do século 20, em um vilarejo na Polônia, vivia Yentl, uma menina órfã de mãe. Seu pai era um rabino que lecionava o Talmud e a Torá. Naquele tempo, somente os homens poderiam se dedicar aos estudos religiosos e cabia às mulheres manter a tradição do lar, além de educar os filhos. Com a morte do pai, Yentl se vê em um terrível conflito: arrumar um marido e viver a vida que lhe era destinada ou mudar de identidade vestindo-se de homem para viver o seu sonho que era estudar em uma Yeshivá.

O fechamento do evento foi feito pelo rabino Sérgio Margulies que, em palestra rápida, sintética, precisa, mas também de forma profunda e sensível, nos fez refletir sobre os mais diversos níveis de mensagens que esta peça transmite. A reavaliação das nossas tradições na passagem do tempo, revisão de seu contesto sociológico. Entre outros contextos como o medo da entrega ao amor, a busca da realização de um sonho pessoal de vida, a hipocrisia e a coragem entre outras reflexões.