Veja o que aconteceu na ARI

 

 

Rabino Dario Bialer participa de eventos inter-religiosos

Na quinta-feira, 13 de novembro, o rabino Dario Bialer participou de um painel sobre Espiritualidade e Promoção da Paz, em comemoração aos 60 anos do Rotary Club Rio de Janeiro Botafogo, na Sociedade Psicanalítica do Rio de Janeiro (SPRJ). Já no domingo, 16 de novembro, o rabino Bialer representou a comunidade judaica do Rio no 6º Ato Inter-Religioso em Memória das Vítimas de Trânsito, promovido pela ONU. Estiveram presentes 11 líderes religiosos do estado. Em seu discurso, o rabino abordou o drama da perda de vidas vitimadas pela violência no trânsito. Leia matéria no Globo >>

Comissão de Ação Social: mais uma missão cumprida

Mais uma vez a CAS, a través do seu projeto “Conexão”, conseguiu seu objetivo de construir pontes entre quem precisa e quem pode ajudar. A instituição Coração Solidário (que cuida de crianças com necessidades especiais) recebeu um carrinho de bebê novo para a pequena Yasmim, que mora em uma região carente da Baixada Fluminense.

Coral Ahavá se apresenta em Copacabana

Na quarta-feira, 5 de novembro, o Coral Ahavá, da ARI fez uma apresentação na Primeira Igreja Batista de Copacabana, como parte do Projeto Quarta com música. Cada canção foi precedida de uma explicação e a platéia participou animadamente batendo palmas. Foram apresentadas famosas canções judaicas, como Erev shel shoshanim, Hinei Ma Tov, e Ose Shalom.   Veja mais fotos:

Juntos, recordamos a Kristallnacht na ARI

Na noite de terça-feira, 11 de novembro, nossa congregação se reuniu para recordar a trágica Kristallnacht, a Noite dos Cristais. O presidente da Sinagoga, Ricardo Gorodovits, agradeceu a presença de todos e, em seguida, o rabino Sérgio Margulies recitou o Kadish. Ruth Cohen, que presenciou os acontecimentos quando tinha apenas sete anos de idade, foi entrevistada por Barbara Katz, madrichá da Chazit. “Eu me lembro bem da Noite dos Cristais, porque em frente à nossa casa havia uma sinagoga muito antiga e muito bonita”, contou Ruth. “Eu tenho essa visão, de uma noite de novembro, fria e escura, pois já era inverno na Alemanha. Muita gente parada na rua, a sinagoga não estava mais em pé, não tinha mais nada. Eu lembro de uma mulher que foi arrastada na rua pelos cabelos porque ela disse aos alemães que eles iriam ser castigados por aquilo”. Muito aplaudido, o depoimento de Ruth Cohen foi uma mensagem de otimismo e em chamado à ação: “A vida tem que continuar e nós temos de perpetuar a memória e as informações dessa noite, para que nunca mais se repita”. Em seguida, o especialista em música clássica Marcel Gottlieb apresentou uma programação musical emocionante, que contou com vídeos de apresentações dos violinistas Maxim Vengerov e Itzhak Pelman. Ele lembrou que fez Machon em 1973 pela Chazit e explicou que, um ano antes, a Rússia havia prometido permitir que os violinistas judeus fizessem Aliá. “Um deles foi Vengerov, que hoje é um dos grandes violinistas da nossa geração”, contou. Ao final, todos se juntaram para entoar Ierushalaim shel Zahav, ao som do violino de Maxim Vengerov.     Veja as fotos: Confira mais vídeos:

Projeto Ação Kvutzá mobiliza chanichim

Neste último sábado, a Chazit promoveu para seus chanichim o Ação Kvutzá. Esse projeto, que teve inicio no snif do Rio no ano passado, instiga o chaver a sair da teoria e militar na pratica. Todos os chanichim participaram e o resultado foi incrível. Com seus madrichim, cada shichvá escolhia um objetivo no qual achava importante militar e a forma de fazê-lo. Os pequenos desenharam cartazes, entregaram comida com desejos de felicidade e os mais velhos foram para as ruas. A shichva de mordim, distribuiu rosas no Hospital da Lagoa e receberam muitos agradecimentos por médicos, pacientes e seus familiares. A experiência do Ação Kvutzá promove o contato do chaver com o Outro, formando a personalidade do ser chazitiano. Esse dia nos lembra da importância de militar e de ser ativo pelas coisas que acreditamos, além de fazer perceber que há diferentes formas de ser ativista. Chazak VeAlê! Amanda Halfen Rosh Chinuch Rio   Veja mais fotos:

OPA completa oito anos com muita animação

No dia 22 de outubro, o projeto OPA (Oficinas Profissionalizantes e Artísticas), completou seu 8º ano de atividade. Jovens atendidos, mães e monitoras se reuniram para uma confraternização no restaurante Cirandinha. Como sempre acontece quando estamos reunidos o clima foi de festa e alto astral, com muita alegria pelas conquistas do ano e a certeza de que o próximo ano será ainda melhor. Já no dia 31, os jovens e monitoras do OPA, tiveram a honra de subir no Aleinu durante o serviço de Cabalat Shabat. As palavras do rabino Sergio Margulies nos deixaram emocionados. Obrigado pelo a todos pelo apoio. Se você quiser fazer parte da nossa “família” é sé nos procurar na ARI. Tamara Bronstein Landsberg Coordenadora do OPA   Veja mais fotos:

Rabino Dario Bialer conduz debate no AfroReggae

No dia 22 de outubro, o projeto Cultura de Ponta, idealizado pelo Grupo Cultural AfroReggae, teve como tema Conflitos Territoriais: Israel & Palestina. O evento contou com a participação de Leonardo de Carvalho Augusto, Professor de História Contemporânea da PUC-Rio, Kike Rosenburt, da Agência Judaica e do Habonim Dror. A mediação foi de Dario Bialer, rabino da ARI. Saiba mais sobre o projeto aqui >> Confira o vídeo do debate:   Veja as fotos:

ARI recebe visita da Escola Mater Ecclesiae

  Por Profs. Maria Inês Chaves Preza Freitas e Renato Damião de Paula Pereira O dia 23 de outubro foi um dia de grande realização acadêmica para os alunos de teologia e os professores da Escola Mater Ecclesiae (Arquidiocese do Rio de janeiro): fomos visitar, conhecer, compreender in loco o judaísmo, ou melhor, os judaísmos. In loco porque estes alunos adentraram a Sinagoga ARI e ouviram de seu próprio rabino Dario Bialer respostas a vários questionamentos, dúvidas, esclarecimentos. Foi uma grande luz surgida no horizonte! Fomos recebidos gentilmente pelos funcionários. Em seguida, entramos no templo. Tiramos muitas fotos, pois este dia precisava ficar registrado, em nossas mais caras lembranças. Então o rabino Dario entrou, cumprimentando e se apresentando a todos com muita alegria. O rabino mostrou aos alunos que hoje falamos em judaísmos, ou seja, não podemos ver a religião judaica sob o prisma único de um judaísmo: – o ser humano muda constantemente ao exercitar sua fé. Também ficou muito claro que, como judeus e cristãos professos, precisamos dar expressão a todos os que estão sofrendo. Comum a nossas tradições é o elo entre o amor de Deus e o amor de seres humanos, os quais todos são criados na imagem de Deus. Está nas melhores tradições do Judaísmo e da Cristandade como demonstradas tanto na Torá como no Novo Testamento dar voz a todos que estão sofrendo. Quanto à leitura da Torá, é preciso compreender que é o homem, em seu diálogo com o texto, que dá sacralidade ao mesmo. Em relação ao Talmud (em aramaico) temos que compreender a sua importância também, pois é nele que encontramos o resgate de todas as opiniões, de todas as discussões dos sábios. Sobre o Midrash, é nele que compreendemos que o homem é o protagonista da História, muito mais que os […]

Seminário Pemach 2014

Entre os dias 16 e 19 de outubro, mais de 100 ativistas da Chazit Hanoar Continental (Rio, Porto Alegre, São Paulo e Montevidéu), reuniram-se no Sitio São Luiz, perto da capital gaúcha, para participar do Seminário Pemach 2014. O seminário teve uma grande importância para nossa tnuá. A Chazit se define como uma tnuá apartidária, o que significa que ela não está vinculada a qualquer partido politico Israelense. Mas isso não impede a Chazit a ser uma tnuá POLÍTICA e a se posicionar em determinadas situações. Este ano, a Chazit definiu alguns valores com os quais já trabalhamos há muito tempo, como liberdade, respeito e consciência ambiental e se posicionou em vários pontos importantes em relação à questão israelo-palestina. Por exemplo: “A Chazit almeja a resolução do conflito através de um acordo de paz que se baseie na criação de dois Estados soberanos para dois povos”. Estas decisões foram fruto de muitos debates e estudos dentro da tnuá. Em breve publicaremos todos os pontos debatidos. Chazak ve Ale!

Muita Alegria em Simchat Torá na ARI

Simchat Torá marca o final e o recomeço da leitura da Torá, como na vida, finais e reinícios, sempre iguais e diferentes a cada vez. Um momento de alegria e solene ao mesmo tempo. Na ARI festejamos na quinta-feira, 16/10, à noite, com muita alegria e com representantes de todas as idades juntos, com muita dança carregando os rolos da Torá e com um lanche com muito falafel. E na sexta-feira, 17/10, de manhã, no serviço matutino, como habitualmente foram homenageados dois voluntários que doam de sim para o engrandecimento da nossa ARI, como chatan Torá e chatan Bereshit. Veja mais fotos na galeria: