Veja o que aconteceu na ARI

 

 

Parabéns aos campeões da Intertnuot 2014!

Mais de 200 chanichim e madrichim dos movimentos juvenis Hashomer Hatzair, Habonim Dror e Chazit Hanoar participaram com muita animação do Intertnuot 2014, organizado pelo Conselho Juvenil Judaico no Rio de Janeiro, neste último domingo, dia 7. O evento, que este ano aconteceu no Clube Adolpho Bloch, na Barra da Tijuca, teve competições de handebol, futsal, futebol soçaite e de um animado quiz. A tnuá campeã na área esportiva foi a Chazit Hanoar, que venceu a maioria dos jogos. Parabéns a todos os peilim!

Merecida homenagem aos nossos voluntários

Na sexta-feira, 5 de dezembro, Dia Internacional do Voluntário, a ARI realizou um jantar em homenagem a todos os que dedicam uma parte do seu tempo às atividades de nossa congregação. O evento teve boa comida, boas risadas e um emocionante show de dança cigana com o grupo Gipsy Down, formado por portadores da Síndrome de Down. “É uma homenagem mais do que merecida aos nossos voluntários e o sucesso foi tão grande que vamos repetí-la em outras ocasiões”, conta a coordenadora da CAS Françoise Sztajn, que organizou o jantar junto com sua vice Benilce Chaves. “Também aproveitamos para homenagear os queridos funcionários da ARI que sempre se empenham para o sucesso de nossas atividades. Ao fim do jantar, foi sorteada uma linda Chanukiá doada pela Lojinha. A ganhadora foi Monica Helman.   Veja as fotos no Facebook da ARI >>

Grupo Kibud organiza animado bingo no Lar União  

Na terça-feira, 25 de novembro, o Grupo Kibud, da CAS, visitou o Lar União. Após o tradicional parabéns aos aniversariantes do mês, foi promovido um bingo utilizando figuras judaicas. Foram distribuídos diversos brindes e todos se divertiram muito. Veja mais fotos:

Pais e filhos aprendem juntos a confeccionar mezuzot

  No domingo, 30 de novembro, as famílias dos alunos de pré-Bar e Bat Mitsvá participaram da atividade de confecção de mezuzot. Juntos, eles aprenderam o significado dos principais objetos judaicos e puderam pintar seu próprio bait para levarem para casa. Ao final da atividade, foi sorteado um claf que foi doado pela lojinha da ARI. Foi uma manhã muito agradável!   Veja mais fotos:

ARI e Chazit unidas no Shabat pela Coexistência

  Na última sexta-feira, 28 de novembro, o serviço do Cabalat Shabat na ARI foi diferente. Ele foi produzido pelos jovens peilim da Chazit Hanoar. Com músicas, mensagens inspiradoras e um belíssimo Dvar Torá em torno do tema Coexistência, Diálogo e o Respeito, foi uma noite muito vibrante, que culminou com todos cantando Shir LaShalom. “Foi um momento muito emocionante para nós da Chazit”, conta a mazkirá Carol Freihof. “A proximidade com a ARI, nossa kehilá-mãe, é algo fundamental para a tnuá. Vamos trabalhar para que esse laço seja cada vez mais forte. Chazak vê Alê!”   Prédica lida pelos peilim da Chazit: Shabat Shalom, A parasha que lemos esta semana á a parasha Vaietze. Nela, Jacob foge de seu irmão Esaú, e vai para Haran. Como vocês sabem existia entre esses dois irmãos um CONFLITO de PODER muito grande, Jacob recebeu a benção da primogenitura que lhe correspondia realmente a Esaú o irmão mais velho, por meio de um engano do seu pai. Esaú fica muito ressentido com este fato, e Jacob não tem outra opção além de fugir para Haran. Em Haran Jacob mora com Laban, seu tio, e se apaixona pela filha mais nova dele e Jacob se oferece para trabalhar por sete anos para Laban em troca de se casar com Rachel. Mas Laban engana Jacob, e quando acabam os sete anos ele casa Jacob com Leah, à filha mais velha. Quando Jacob descobre esse engano, fala que ele vai trabalhar outros sete anos para se casar também com Rachel. Rachel e Leah, agora esposas de Jacob, dão à luz filhos para Jacob: doze meninos e uma menina. Jacob depois de tantos anos em Haran quer voltar para casa com a família e o gado, e após uma rápida consulta com suas esposas, foge sem informar a Laban levando uma grande riqueza. Aqui surge outro conflito nesta parasha, […]

Grupo Kibud organiza animado bingo no Lar União

Na terça-feira, 25 de novembro, o Grupo Kibud, da CAS, visitou o Lar União. Após o tradicional parabéns aos aniversariantes do mês, foi promovido um bingo utilizando figuras judaicas. Foram distribuídos diversos brindes e todos se divertiram muito. Veja as fotos:

Campanha de Tsedaká da CAS

A Campanha de Tsedaká da CAS está recolhendo Materiais Escolares em benefício dos Filhos de Funcionários e CECOMAV – Espaço Cultural Fazendo Arte. As doações podem ser entregues na Secretaria da Sinagoga. Quem preferir, pode adquirir kits preparados pela CAS, que estão à venda às sextas-feiras durante a Hora do Cafezinho, no Salão Nobre. Informações: 2156-0444

Shirvá de Kovshim visita o Lar União

No dia 8 de novembro, a shichvá de Kovshim da Chazit fez uma visita ao Lar União. Foi uma experiência muito emocionante, na qual os chanichim puderam ver de perto a importância de ajudar o próximo. Eles levaram doações de fraldas geriátricas que foram arrecadadas por eles e também tiveram a oportunidade de conversar e cantar com os idosos. A experiência foi enriquecedora tanto para os chanichim como para os moradores do lar! Chazak VeAle

Rabino Sergio Margulies palestra após apresentação de ‘Yentl’

Por Tânia Apelbaum Novak A apresentação de Yentl um recital, realizada dia 13 de novembro no teatro Municipal de Niterói, foi um sucesso. A comunidade do Rio se uniu e atravessou a Ponte em plena quinta-feira para prestigiar estes artistas. No elenco, Tânia Apelbaum Novak, no papel de Yentl, Gilberto Marmorosch no papel de narrador – pai de Yentl e rabino chefe -, Leo Wainer no papel de Avigdor. Direção geral Isaac Bernat, direção musical Haroldo Goldfarb, coreografia de André Grispan Schor, cenário de Doris Rollenberg, figurino de Franci Citryn e direção de movimento de Soraya Ravenle. A estória é mais uma versão criada sobre o conto de Isaac Bashevi Singer: Yentl, o menino da Yeshivá. As cenas são permeadas com as lindas canções de Michel Legrand, escritas para o filme Yentl (estrelado por Barbara Straisend), além destas canções são cantados vários outros temas de orações e canções tradicionais judaicas. No inicio do século 20, em um vilarejo na Polônia, vivia Yentl, uma menina órfã de mãe. Seu pai era um rabino que lecionava o Talmud e a Torá. Naquele tempo, somente os homens poderiam se dedicar aos estudos religiosos e cabia às mulheres manter a tradição do lar, além de educar os filhos. Com a morte do pai, Yentl se vê em um terrível conflito: arrumar um marido e viver a vida que lhe era destinada ou mudar de identidade vestindo-se de homem para viver o seu sonho que era estudar em uma Yeshivá. O fechamento do evento foi feito pelo rabino Sérgio Margulies que, em palestra rápida, sintética, precisa, mas também de forma profunda e sensível, nos fez refletir sobre os mais diversos níveis de mensagens que esta peça transmite. A reavaliação das nossas tradições na passagem do tempo, revisão de seu contesto sociológico. Entre outros contextos como […]