Françoise Sztajn, coordenadora da CAS e da Comissão de Cultura.

Françoise Sztajn
Esta semana, conversamos com Françoise Sztajn, nova coordenadora da CAS e da Comissão de Cultura.Como começou sua ligação com a ARI?
Cheguei no Brasil há 25 anos, após conhecer meu marido, André Sztajn, em Israel. A família dele sempre esteve muito próxima da ARI desde seus avós, que foram parte do grupo fundador da Sinagoga. Ele fez Bar Mitzva na ARI (o Oren foi o professor dele naquela época), o Rabino Graetz nos casou; ambos nossos filhos, Edouard e Julia, fizeram Bar/Bat Mitzva também na ARI.O que motivou você a tornar-se uma voluntária? 
Meu trabalho como voluntária iniciou-se em 2004, na época do Bar Mitzva do meu filho. Fui “convocada” pela Rosana Dana para fazer parte da Comissão de Eventos e, no ano seguinte, a Ruth Zohar me convidou para fazer parte da Comissão de Cultura. Hoje, estou no meu segundo mandato como membro do Conselho Diretor.E quais são seus novos desafios?

No início de 2014 assumi a Coordenação da CAS (Comissão de Ação Social) substituindo a Silvana Inneco, que está voltando para o Uruguai. Estou apenas começando e conhecendo os diversos projetos. Tenho a impressão de que pouca gente conhece de fato o trabalho desta Comissão e espero poder ajudar a divulgar mais o que a CAS se propõe a fazer.Como obter mais informações sobre a CAS?
Quem quiser saber um pouco mais sobre o nosso trabalho, pode entrar em contato com a Adriana na secretaria da ARI e deixar seu contato. Também pode vir falar conosco na “Hora do Cafezinho”, no Salão da Sinagoga durante o Kabalat Shabbat. Nosso grupo está sempre presente.Com esta nova função, você se afastará das atividades culturais na ARI?
Ainda não passei o bastão e continuo ajudando a Comissão de Cultura. As ultimas sessões de cinema fizeram bastante sucesso e isso precisa continuar. Em breve, vamos divulgar qual será o próximo filme. Também estamos pensando em realizar uma comemoração em homenagem ao Dia Nacional da Imigração Judaica, 18 de março.